Coronavirus

Confira os principais países que já fecharam suas fronteiras

Por 16 de março de 2020 Sem comentários

Europa (exceto Reino Unido)

A União Europeia vai proibir a entrada de todos os estrangeiros por ao menos 30 dias, como forma de combate à pandemia de coronavírus.  A medida foi anunciada pela presidente da Comissão Europeia (Executivo do bloco), Ursula von der Leyen, na tarde desta segunda (16) e engloba os 27 países da União Europeia mais quatro que fazem parte da zona Schengen. 

Canadá

O Primeiro Ministro do Canadá, Justin Trudeau, anunciou que ordenou o fechamento de todas as fronteiras do país para não cidadãos e não residentes permanentes, num esforço sem precedentes para conter o avanço do coronavírus. As únicas exceções para o momento serão diplomatas, cidadãos norte-americanos, tripulantes e parentes de primeiro grau de cidadãos canadenses. 

Argentina

O país decidiu que vai impedir a entrada de qualquer estrangeiro no país por 15 dias, contando a partir de 16/03. 

Peru

O mesmo aconteceu com o Peru, que decidiu proibir a chegada e a partida de todos os voos internacionais a partir desta segunda-feira. 

Colômbia

Está proibida, a partir desta segunda-feira (16), o acesso de estrangeiros ao seu território como forma de tentar conter a epidemia do novo coronavírus.

Chile

Sebastián Piñera, o presidente do Chile, disse nesta segunda (16) que fechará as fronteiras do país. A medida foi tomada após uma reunião ministerial no Palácio de La Moneda, sede do Governo, e entrará em vigor na próxima quarta-feira.

Equador 

O Equador foi o primeiro país da América do Sul a fechar suas fronteiras como medida emergencial contra o avanço do novo coronavírus. Todos os estrangeiros estão proibidos de entrar no país. 

EUA fecha fronteiras parcialmente – Chineses e europeus não podem entrar nos Estados Unidos durante pelo menos um mês. No início, a medida valia apenas para o país asiático, mas na última sexta-feira (13) Donald Trump decidiu incluir o continente europeu também – o que afundou as Bolsas e provocou críticas.

Confira aqui a atualização dos países pela IATA.